Voltar para a capa

Polícia

Dia de cão na Penha

Por
Meia Hora
|

Explosão de granada fere três PMs na Vila Cruzeiro, e incêndio atinge base de UPPs

Rio - Três PMs ficaram feridos após a explosão de uma granada lançada por traficantes, na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, ontem de manhã. À tarde, a base que atende as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) Fé/Sereno, Vila Cruzeiro e Chatuba sofreu um incêndio — segundo a corporação, o fogo foi causado por um curto-circuito no ar-condicionado, e ninguém se feriu no incidente.

Bombeiros foram acionados para apagar as chamas. O delegado titular da 22ª DP (Penha), Reginaldo Guilherme, disse que vai investigar se o incêndio foi provocado por criminosos. No entanto, de acordo com informações preliminares da perícia, há fortes indícios de que tenha sido provocado pelo curto. O laudo deve ficar pronto em até 30 dias.

WhatsApp O DIA
Incêndio em alojamento de UPP

De manhã, três policiais estavam em patrulhamento na área conhecida como Quatro Bicas, quando foram atacados com tiros e granadas. Traficantes do Comando Vermelho (CV) ainda controlam a venda de drogas na favela, que conta com UPP desde 2012. Os PMs foram levados por um outro militar para o Hospital Getúlio Vargas, também na Penha.

O quadro mais grave é o do soldado Rafael Cabral de Azevedo, que teve que amputar a perna direita. Já os outros dois soldados, Alan de Oliveira Lima e Leonardo de Oliveira Santos, foram atendidos na unidade da Penha e, em seguida, levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde passaram por exames e estão internados, em observação, mas passam bem.

Primeira Página

Mais lidas