Voltar para a capa

Polícia

Amigo de filho de Maninho contou versões diferentes sobre morte

Por
O Dia
|

Delegacia de Homicídios analisa imagens de câmeras de segurança para esclarecer assassinato de Myro Garcia

Rio - A Delegacia de Homicídios já está com imagens de câmeras de segurança do momento em que o carro do jogador de pôquer e empresário Myro Garcia, de 27 anos, é abandonado após o sequestro que terminou com sua morte. As imagens estão sendo analisadas. Myro era o único filho homem do bicheiro Waldomiro Garcia, o Maninho, morto em 2004. O enterro do jovem foi ontem, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

O veículo da vítima, um Corolla Preto, foi abandonado por dois criminosos ao lado do Rio Water Planet, por volta das 18h e incendiado. “A investigação ainda está no início, mas acreditamos que em breve iremos identificar os autores do crime”, disse o delegado Fábio Salvatoretti, da Delegacia de Homicídios da Capital (DH).

Cléber Mendes / Agência O DIa
Família se emociona no adeus a Myro Garcia, no Jardim da Saudade

Inicialmente, a Polícia Militar havia recebido a informação de que Myro teria ficado dois dias em cárcere. No entanto, o “primo de consideração” dele, Pedro Marques, que foi pagar o resgate, contou outra versão na Delegacia de Homicídios.

O carro circulou com os amigos por um período e, após um tempo, os criminosos mandaram os dois descerem do veículo na Estrada do Rio Morto. Esse é outro detalhe que difere da informação da Polícia Militar, já que Marques teria dito que Myro foi baleado ao tentar fugir por conta própria.

Ainda em depoimento na Polícia Civil, Marques disse que os dois correram em direções opostas. Myro foi atingido por dois tiros e caiu em barranco. Já Marques nada sofreu e chamou a Polícia Militar.

Primeira Página

Mais lidas