Mais Lidas

Dirigente da Imperatriz afirma que escola não vai contestar votação na Liesa

Representantes de oito agremiações votaram pelo retorno da Imperatriz ao Grupo Especial. Escola havia descido com o Império

Integrantes da Escola de Samba Império Serrano, durante desfile do Grupo Especial no Sambódromo da Marquês de Sapucaí
Integrantes da Escola de Samba Império Serrano, durante desfile do Grupo Especial no Sambódromo da Marquês de Sapucaí -
Vice-presidente de Carnaval do Império Serrano, Paulo Elias disse que não cabe contestação à decisão da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa). A verde e branco de Madureira foi rebaixada, no ano passado, ao lado da Imperatriz Leopoldinense, que foi readmitida na elite do Carnaval carioca, ontem, em votação que envolveu todos os representantes das agremiações do Grupo Especial, na sede da Liesa. 

"Foi um decisão do plenário do Liga, que é soberano. Fomos à reunião para a prestação de contas do Carnaval passado e houve a proposta da votação. Não vamos contestar. Houve a renúncia do presidente da Liga e preferimos aguardar os desdobramentos", disse Paulo Elias, que descartou qualquer medida judicial.

Perguntado por que não se cogitou uma votação pelo retorno do Império Serrano ao Grupo Especial, Paulo Elias respondeu: "Isso deve ser perguntado aos representantes das escolas que votaram a favor do retorno da Imperatriz", comentou o dirigente. Foram 8 votos a favor de retorno da Imperatriz e cinco contra.
Paulo Elias explicou que o Império Serrano e a Imperatriz Leopoldinense não votaram porque eram parte interessada no certame. Procurada pelo DIA, a assessoria de imprensa do Império Serrano disse que a escola não irá emitir uma nota oficial sobre o assunto.
Como votaram as escolas
As escolas que votaram a favor do retorno da Imperatriz Leopoldinense foram São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Estácio de Sá, Grande Rio, União da Ilha, Salgueiro, Mocidade e Unidos da Tijuca. Votaram contra: Beija-Flor, Viradouro, Vila Isabel, Mangueira e Portela.