Mais Lidas

Thiago Marreta diz que foi alertado sobre jogo 'sujo e trapaceiro' de Jon Jones

O carioca vai disputar o cinturão do peso meio-pesado contra o americano no UFC 239, no dia 6 de julho, em Las Vegas

Thiago Marreta vai disputar o cinturão do peso meio-pesado contra Jon Jones no UFC 239
Thiago Marreta vai disputar o cinturão do peso meio-pesado contra Jon Jones no UFC 239 -
Thiago Marreta sabe que terá pela frente uma difícil missão: ser o primeiro lutador a destronar o dominante campeão do meio-pesado Jon Jones. Com disputa de cinturão marcada contra o americano para o dia 6 de julho, no card do UFC 239, em Las Vegas, o brasileiro fez uma espécie de "consultoria" com Anthony Smith, último oponente que tentou desbancar 'Bones' no octógono.
Segundo Marreta, 'Lionheart' deu detalhes sobre as atitudes controversas do campeão dentro do cage: "Não sei se isso vai pegar mal para o Smith, mas ele me falou que o Jones é sujo, trapaceiro. Usa coisas que às vezes os juízes não conseguem ver. Bota a mão no seu olho, usa coisas não válidas que o juiz, às vezes pela posição, não consegue ver. Te machuca, e se você parar ele vai te bater e você perde a luta. Então é ficar esperto porque ele é um pouco sujo", revela o carioca, nos bastidores do UFC 237, realizado neste sábado, no Rio de Janeiro.
Sinônimo de polêmica, Jon Jones tem um cartel vitorioso e é considerado um dos melhores lutadores de todos os tempos. Questionado se o fator intimidação pode influenciar a luta, Marreta diz que sim e relembrou que ficou travado em seu embate com Gerard Moussasi, em 2016. No entanto, garante que isso não acontecerá diante do campeão.
"É uma luta que fiquei engasgado porque não fui eu, não lutei. Não por medo, mas ele é um cara que eu assistia quando eu nem lutava profissionalmente. Não sei explicar o sentimento, mas na hora travou. Isso não vai acontecer comigo, já passei por esse tipo de experiência e não vai se repetir", garante Marreta, que já fez planos caso consiga o título da divisão: "Se isso acontecer, meu plano é fugir. Ir para algum lugar que vocês não vão me achar", diz aos risos.
Os famosos (e persistentes) problemas de Jon Jones com o doping não passaram batido. O carioca diz não ter medo do americano ir dopado para a luta, mas afirma que o caso deveria ser melhor investigado pela organização.
"Já fui testado 26 vezes e nunca apareceu picograma pra mim, por que aparece para ele? Ele é extraterrestre? Sei lá, acho estranho. Deveriam apurar melhor isso", dispara o lutador, para depois completar: "O que mais temo é que ele faça alguma besteira antes do dia 6 e não tenha essa luta. Esse é meu maior medo".
Thiago Marreta ainda afirmou que pretende descer de categoria para fazer história no Ultimate. Além disso, o carioca surpreendeu ao revelar sua antipatia por Israel Adesanya, que derrotou Kelvin Gastelum por decisão unânime e faturou o cinturão interino do peso médio no UFC 236, em abril.
"Penso com certeza em voltar para os médios e ser bicampeão. Adoraria bater no Adesanya, não acho ele um cara legal, adoraria lutar com ele. As vezes que encontrei com ele, sei lá… o santo não bateu. Coisa de energia mesmo, não sei explicar. Igual aconteceu comigo uma vez com o Bisping, sou muito assim, sinto a energia da pessoa. Não sei realmente se ele é uma pessoa ruim, mas não fui com a cara dele (Adesanya)", conta Thiago, que já imagina como o confronto se desenrolaria contra o nigeriano.
"Ele tem seus talentos, tem um dom, isso não tem o que falar. Mas acho que ele não aguenta comigo. Não aguenta com alguém que bata nele forte, que não entre nas provocações dele. A luta dele com o Anderson deu para ver, mas isso é coisa para a gente pensar mais para frente, não dá para pensar nisso agora. Mas é um cara que penso, se as coisas derem certo com o Jon Jones, quem sabe não posso unificar dois cinturões?", acrescenta.