Mais Lidas

Jayme de Almeida enaltece título de 2014 do Flamengo e minimiza erro de arbitragem

Ele foi o técnico na conquista do 33º título carioca do Rubro-Negro

Jayme comandou o Fla em 2014
Jayme comandou o Fla em 2014 -

A fala mansa e a paixão pelo Manto Sagrado são traços marcantes na personalidade de Jayme de Almeida. Técnico na conquista do 33º título carioca do Flamengo, em 2014 — o último diante do arquirrival Vasco em uma decisão — ele relembra com carinho aquela façanha, e traz guardado em um cantinho da memória o polêmico lance do gol de Marcio Araújo, aos 46 minutos do segundo tempo, que, em impedimento, decretou o empate em 1 a 1, no Maracanã, e fez a festa da nação rubro-negra.

“Na hora não deu para saber se o gol foi irregular. Depois do jogo vi que o Márcio realmente estava impedido, mas isso não tira o brilho da nossa conquista. Ganhamos a Taça Guanabara e chegamos à final do Carioca com a vantagem do empate. Fico orgulhoso desse título, já que, cinco dias antes, fomos eliminados na fase de grupos da Libertadores e demos a volta por cima”, recorda o ex-zagueiro, filho de Jaime de Almeida, grande jogador do Flamengo na década de 1940.

GAROTADA NOTA 10

Técnico campeão também da Copa do Brasil de 2013, Jayme de Almeida destaca outro fator positivo na conquista do Carioca de 2014. “Aquele time estava em formação. Fomos campeões da Copa do Brasil e muita gente saiu. Em 2014 chegaram outros jogadores, foi um recomeço de trabalho e a garotada (Nixon, Gabriel, Luiz Antonio, Everton...) deu conta do recado”, destaca Jayme, que põe as duas conquistas no mesmo patamar. “Ganhar título pelo Flamengo é sempre emocionante. Guardo os dois no coração com muito carinho”, revela. A identidade rubro-negra de Jayme de Almeida, porém, não o impede de ser realista.

Perguntado sobre a adoção do Árbitro de Vídeo no futebol, ele elogia a novidade, e, sincero, admite que se o VAR estivesse em ação naquela decisão do dia 13 de abril de 2014, o Flamengo, talvez, não tivesse erguido a taça.

“Naquela época, não tinha como decidir na hora, o que não é demérito algum. Mas realmente, com o advento da tecnologia, hoje ficou mais difícil de a arbitragem errar”, frisa, acrescentando: “O futebol evoluiu. Acho interessante para que não aconteçam outros erros. É uma coisa bacana que será aprimorada e vai ajudar muito o futebol”.

DECISÃO SEM FAVORITO

Jayme, inclusive, espera que neste domingo, no Engenhão, o primeiro jogo da decisão do Carioca seja decidido na bola, sem polêmicas. Ele destaca a tradição do clássico, a sua rivalidade e não vê favorito ao título. “O Flamengo teve um investimento muito maior que o do Vasco, mas isso não quer dizer que ele seja o favorito. Decisão entre Flamengo e Vasco é sempre muito difícil, equilibrada”, avalia Jayme, que minimiza o fato de os cruzmaltinos não derrotarem o rubro-negro em uma final há 31 anos.

“O jejum realmente é grande e há muitas brincadeiras em relação a isso. Mas faz parte do esporte. Só não pode descambar para a violência. Vai chegar um dia que o Vasco vai ganhar uma decisão contra o Flamengo”, prevê. “Que não seja em 2019”, brinca.