• Siga o Meia-Hora nas redes!

Duas grávidas mortas na Zona Oeste e Baixada

A polícia investiga se elas foram vítimas de crime passional. Um dos bebês sobreviveu

Dandara, de 21 anos, chegou morta ao Hospital Albert Schweitzer
Dandara, de 21 anos, chegou morta ao Hospital Albert Schweitzer - Reprodução / Facebook

Duas grávidas foram mortas, ontem, na Zona Oeste do Rio e em Belford Roxo. Um dos bebês sobreviveu. As primeiras investigações apontam que as mulheres podem ter sido sido vítimas de crime passional. As investigações estão a cargo das delegacias de Homicídios da Capital (DH) e da Baixada Fluminense (DHBF).

Dandara Helena Damasceno de Souza, de 21 anos, levou um tiro no rosto, dentro de sua casa, na Vila Vintém, Zona Oeste do Rio. A polícia ainda não sabe quem matou a jovem, que estava na 25ª semana da gestação. Ela já chegou sem vida ao Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, mas os médicos ainda conseguiram salvar o bebê. Segundo informações passadas ao MEIA HORA por um policial da 34ª DP (Bangu), o advogado de um suspeito de atirar na grávida prometeu apresentá-lo à polícia hoje.

"A mãe já chegou morta. Mesmo assim, detectamos os batimentos cardíacos do bebê e fizemos uma cesariana na própria emergência para salvá-lo. Trata-se de uma cirurgia difícil, estressante, mas a equipe estava preparada e seguimos os protocolos médicos", disse o coordenador da maternidade, Jucinei Pacheco.

Luta pela vida

O médico afirmou que as próximas 72 horas serão determinantes para saber se o menino, que nasceu pesando apenas 900 gramas, vai sobreviver. O estado de saúde dele é considerado grave.

Grávida foi espancada e asfixiada

Grávida de cinco meses, a atendente de caixa katyara Pereira da Silva, de 27 anos, foi encontrada morta, com sinais de agressão e um saco plástico na boca, na manhã desta segunda-feira, em belford Roxo, na Baixada Fluminense. O bebê também morreu.

O corpo foi encontrado na casa onde a jovem moarava com duas filhas de 10 e 3 anos, na Rua Diogo Moreira, no Parque São José. Policiais do 39º BPM (Belford Roxo) foram acionados por vizinhos da mulher, que encontraram o corpo, por volta das 8h30, pelos gritos da filha mais nova da vítima.

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada e periciou o corpo. A mulher tinha um saco plástico na boca e marcas de agressões.

Pelas redes sociais, familiares de Katyara acusaram um ex-companheiro da jovem, mas a DHBF não confirmou que haja, por enquanto, algum suspeito do crime. Amigos prestaram homenagens. "Que Deus te receba de braços aberto e console o coração de toda sua família. Vá em paz!", postou uma amiga.

Final feliz em fevereiro

Baleada durante tentativa de assalto, no dia 13 de janeiro, em Belford Roxo, na baixada Fluminense, quando estava grávida de 8 meses, Michelle Ramos da Silva Nascimento, de 33 anos, e o filho sobreviveram sem sequelas à violência. Ela foi atingida na cabeça e foi submetida a uma cesariana de emergência para a retirada do bebê. Mãe e filho conseguiram se recuperar e foram para casa depois de quase um mês no hospital.

Mãe e filho morreram

Grávida de cinco meses, a atendente de caixa Katyara Pereira da Silva, de 27 anos, foi encontrada morta, com sinais de agressão e um saco plástico na boca, na manhã de ontem, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O bebê também morreu. O crime aconteceu na casa da jovem, na Rua Diogo Moreira, no Parque São José. A DHBF não confirmou que haja, por enquanto, algum suspeito do assassinato.

Galeria de Fotos

Dandara, de 21 anos, chegou morta ao Hospital Albert Schweitzer Reprodução / Facebook
Grávida é morta por asfixia em Belford Roxo Reprodução / Internet

Comentários

Mais notícias