• Siga o Meia-Hora nas redes!

Morta com filho no colo

Assaltantes atiram contra carro em Irajá e atingem estudante de enfermagem

Tarcilla tinha 24 anos e deixa um filho de 3: ela foi atingida no tórax
Tarcilla tinha 24 anos e deixa um filho de 3: ela foi atingida no tórax - REPRODUÇÃO FACEBOOK

Uma estudante de 24 anos morreu após ser baleada em uma tentativa de assalto na Rua Honório de Almeida, em Irajá, na Zona Norte do Rio, na noite de domingo. Tarcilla Pereira dos Santos estava em um carro com o filho de 3 anos no colo, acompanhada do namorado e do sogro, quando o veículo foi abordado por criminosos. Ela foi atingida no tórax, chegou a ser encaminhada para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu aos ferimentos. A criança não se feriu.

Parentes da jovem, que fazia o curso de enfermagem, foram ao Instituto Médico Legal (IML), ontem. Márcia Pereira, a mãe de Tarcilla, contou que recebeu uma ligação da filha minutos antes do crime. "Ela disse: 'Mãe, já estou chegando, desce para me ajudar a subir com o bebê'", contou. Márcia acrescentou que desceu para esperar a filha, quando escutou tiros e acabou encontrando Tarcilla baleada. "Ontem eu estava com a minha filha. Meu Deus, há pouco tempo eu estava com ela. Agora ela está lá dentro", lamentou a mãe.

Pamela da Gama, cunhada da estudante, informou que o seu pai, que dirigia o veículo, não conseguiu parar no momento da abordagem dos bandidos. "Foi só uma bala que pegou no carro e a única bala que pegou foi na minha cunhada", disse Pamela, aos prantos.

Pamela contou ainda que Tarcilla passou o dia na casa da família do namorado, e o sogro se ofereceu para deixá-los na casa da mãe da jovem. "Meu pai estava indo lá para tentar deixar eles em segurança, em casa", lamentou.

Nas redes sociais, moradores da região lamentaram o ocorrido. "Nossa área está entregue aos bandidos", comentou uma moradora. "É muito triste, estamos entregue às traças. Cadê as autoridades?", questionou outra.

'Jogaram bombinha'

Ainda de acordo com Pamela da Gama, o filho de Tarcilla ainda não sabe que a mãe morreu. "A gente não está falando nada com ele ainda, mas, ontem, quando eu cheguei no hospital, a primeira coisa que ele falou foi: 'Tia, jogaram uma bombinha na minha mãe'", contou, bastante emocionada.

A Delegacia de Homicídios (DH) da Capital realizou uma perícia no local do crime e assumiu as investigações. Testemunhas contaram que os assaltantes fugiram de carro logo após atirar contra o veículo em que estava Tarcilla.

Comentários

Mais notícias