Mais Lidas

Gamers se defendem após declaração de Mourão sobre massacre de Suzano

Vice-presidente insinuou que os jogos virtuais poderiam ter estimulado o ataque

Jogadores se defendem após declaração de Mourão.
Jogadores se defendem após declaração de Mourão. -

Uma declaração do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, sobre o massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, interior de São Paulo, deu o que falar na internet. Após relacionar os atiradores responsáveis pela tragédia a videogames de conteúdo violento, gamers se defenderam e protestaram nas redes sociais por meio da hashtag #SomosGamersNãoAssassinos. O assunto chegou a ser o mais comentado do Twitter na manhã desta quinta-feira. 

Ao responder uma pergunta sobre o atentado que deixou 10 mortos na escola, o vice-presidente deu a entender que os jogos virtuais poderiam ter incentivado o ataque. O argumento foi baseado no fato de as investigações terem provado que os atiradores eram adeptos dos games e terem utilizado uma arma de estilo medieval.

A reação dos gamers foi imediata já que, segundo eles, a declaração de Mourão prejudica a aceitação dos eSports na sociedade. O gamer Ângelo Bertier, dono do canal do YouTube "stux777", acredita que as pessoas sabem pouco sobre esse universo e acabam reproduzindo os discursos de pessoas que não estudam o assunto. 

"Quando as pessoas estão dentro de uma bolha social, dificilmente olham para algo que não é do próprio interesse. Por isso, quando escutam essas afirmações, preferem acreditar a pesquisar mais", diz o gamer de 23 anos, que já coleciona mais de 1 milhão de inscritos em seu canal no YouTube.

Para Ângelo, a afirmação é potencializada pelo fato de ter vindo do vice-presidente do país:

"Como o Mourão é uma pessoa pública, uma fala dessa contribui para a generalização do argumento de que os videogames podem influenciar as pessoas a serem mais agressivas. Isso afeta não só os gamers, mas também a possibilidade desse segmento ser reconhecido no Brasil como um algo que agrada a grande parte da população".

O prejuízo para o mercado dos jogos virtuais também foi comentado pelo gamer Jonathan Bijos, de 24 anos, em entrevista ao Meia. "Toda essa repercussão negativa só aumenta o ódio contra os jogos, o que afeta principalmente a economia, que é gigantesca nesse segmento. E, mesmo vendendo bastante, os games mais violentos já não têm uma reputação muito boa", ressalta ele, lembrando que o mercado dos eSports vem crescendo e já ultrapassa o número de 75 milhões de jogadores no mundo.

Para ele, a acusação de Mourão foi feita por ser uma alternativa mais fácil: "Buscar entender como os problemas de bullying, depressão e ansiedade estão afetando os jovens e tentar reverter esses problemas dá muito trabalho. Por isso é mais fácil culpar os jogos virtuais e filmes violentos".

* Estagiária sob a supervisão de Marco Antonio Rocha