Mais Lidas

Homem fica em estado gravíssimo após explosão em prédio

De acordo com o Corpo de Bombeiros, vítima foi socorrida de helicóptero para o Hospital Estadual Alberto Torres

Explosão atingiu prédio na Estrada de Jacarepaguá, no Itanhangá
Explosão atingiu prédio na Estrada de Jacarepaguá, no Itanhangá -
Um homem, identificado como Ivson Guilherme Ferreira, ficou gravemente ferido após uma explosão em um prédio na Muzema, Zona Oeste do Rio, nesta terça-feira. De acordo com as primeiras informações, ele teria se jogado do edifício para escapar das chamas, mas o Corpo de Bombeiros não esclareceu se Ivson ficou ferido pelo fogo ou pela suposta queda.
A explosão aconteceu por volta das 14h, na Estrada de Jacarepaguá, altura do número 2.390. Ainda conforme os militares, o homem foi socorrido de helicóptero para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que Ivson está internado e o estado de saúde dele é gravíssimo.
Ainda não há informações sobre o que teria provocado o incêndio no prédio.
Desabamentos na Muzema
Em abril deste ano, dois prédios irregulares desabaram no Condomínio Figueiras do Itanhangá, na Muzema, deixando 24 mortos. Desde o acidente, três prédios com risco de desabamento foram demolidos pela Prefeitura do Rio e mais dois serão derrubados nas próximas semanas, somando assim, cinco prédios irregulares demolidos na região.
No mês passado, a Polícia Civil prendeu Rafael Gomes da Costa, 26 anos, apontado como um dos vendedores dos apartamentos que caíram na comunidade. De acordo com a delegada Adriana Belém, o corretor se entregou na delegacia do Leblon e foi conduzido pelas equipes para a 16ª (Barra da Tijuca), responsável pelas investigações.
O homem é acusado de homicídio por dolo eventual ao lado de outros dois suspeitos. No dia 19 de abril, o Tribunal de Justiça havia decretado a prisão preventiva dele, José Bezerra de Lima, o Zé do Rolo, e Renato Siqueira Ribeiro. A dupla, no entanto, segue foragida. A polícia fluminense trabalha em parceria com investigadores de Pernambuco e Paraíba. É que os três suspeitos podem estar nestes dois estados do Nordeste.