Mais Lidas

Jovens empoderados

Concurso estimula protagonismo empreendedor, criatividade e transformação social

Itinerarte. Este é o nome de uma escola de arte que ainda nem existe, mas já promete fazer sucesso. O projeto foi o vencedor do concurso Conexão Jovem, parceria do Senac RJ com a ONG Ser Cidadão, que teve como objetivo fomentar o protagonismo empreendedor. O grupo que conquistou o primeiro lugar contou com a sagacidade de Paulo dos Santos, de 18 anos, Tiago Ferreira, Caroline da Silva e Fernanda Barbosa, de 19, e Natália Martins, de 20.

Mas eles não foram os únicos. Durante três meses, 20 jovens de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, divididos em quatro grupos, receberam instruções sobre temas como gestão de projetos, gestão financeira, captação de recursos, negociação, marketing/mídias sociais etc.

No final, a tarefa era criar projetos que propusessem soluções empreendedoras para a região de Santa Cruz, nas áreas de comércio, turismo e serviços. Os cases foram apresentados na última quarta-feira (11), no auditório da unidade de Botafogo.

O grupo vencedor pensou em uma escola de arte, com aulas de teatro, música e moda sustentável a preços acessíveis para moradores do bairro. "Queremos dar visibilidade à cultura local", afirmou Caroline, a líder.

O grupo que ficou com a segunda colocação idealizou a Tech Cult, uma escola de programação para os moradores do bairro, com cursos a preços reduzidos e mão de obra local (programadores e desenvolvedores).

Um cinema itinerante com entrada a preço popular foi a ideia que ficou com o terceiro lugar. A ConectaTur, agência de turismo que levaria moradores de Santa Cruz a pontos turísticos do Rio, ficou com a quarta colocação.

O jovem Allex Lima, do grupo que ficou com o segundo lugar, ganhou menção honrosa pelo comprometimento e a dedicação. Ele viajará com o grupo vencedor para São Paulo no ano que vem para participar de uma feira de inovação.

O sucesso do projeto renderá novas edições, segundo o gerente de Projetos Educacionais do Senac RJ, Marcelo Sakoda. "É importante estimular habilidades", diz.